top of page

O que significa ter um estilo de vida saudável?

Olá, mulheres maravilhosas!


Hoje eu quero conversar com vocês sobre algo que ouvimos falar quase todos os dias: que precisamos ter um estilo de vida saudável. Mas, será que sabemos realmente o que é ser saudável? E o que envolve o estilo de vida?



Cada uma de nós tem a sua própria forma de se cuidar. Um pouco dessa forma foi aprendida durante a nossa infância, passado por nossas famílias e cuidadores. Sim, digo cuidadores porque muito do que sabemos sobre hábitos vem junto com a escola e lá temos muitas pessoas que cuidam de nós além da nossa família, posto que a escola tem o papel de cuidar, educar e promover o brincar.


Conforme vamos crescendo, outros hábitos vão sendo introjetados, com influência da mídia, dos amigos e pessoas que vamos fazendo ao longo da vida, de diretrizes médicas, enfim, de todo o convívio social e ambiental que vamos construindo. Eles também dependem dos recursos que temos disponíveis, dos nossos fatores pessoais e dos nossos ideias, ou seja, todos os fatores biopsicossociais.


Já dizia Paulo Freire: " A Educação não transforma o mundo. A Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo". Então percebe-se que o conhecimento é o principal formador dos nossos hábitos. A partir do momento que temos a aprendizagem sobre algo, desenvolvemos novas competências.


Quando falamos de saúde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) define como: " o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença." (OMS, 1946). Este conceito engloba tudo o que foi falado sobre a construção de nossos hábitos, pois tem a ver com corpo, mente e contexto social (biopsicossocial). E é a partir dessa visão ampla que devemos pensar sobre estilo de vida saudável. Assim, quais aspectos consideramos importante para ter esse bem-estar? Alimentação, sono, saúde mental, atividade física, convívio social, exclusão de substâncias tóxicas (fumo, álcool), bons relacionamentos e ter uma abordagem positiva em relação à vida. Fácil? Óbvio que não. Qual mãe tem tempo para tudo isso diante de um rotina exaustiva? Confesso que eu mesma deixo a desejar em alguns aspectos, como no sono. E ter saúde mental, com o estresse que é viver em São Paulo, para mim também é desafiador. Entretanto, o importante é termos consciência de quais aspectos estamos deixando a desejar e buscar alternativas para mudar.


Vou deixar aqui um exercício bem legal, que vocês podem fazer para entender quais aspectos precisam de mais atenção. Com essa atividade, você pode avaliar cada área da saúde. Trata-se da Roda da Saúde, onde você irá pontuar cada aspecto de 1 a 10. Quanto mais perto do 10, melhor está esse aspecto em sua vida. Quanto mais próximo de 1, mais atenção esse aspecto necessita.


Estabelecer e manter um relacionamento positivo consigo mesmo com seu corpo e sua alimentação é um trabalho que requer certo tempo e dedicação. É um exercício compassivo e amoroso, o qual você irá desenvolver com o tempo e que muitas vezes você vai se fechar em si mesma, uma vez que nós vivemos numa sociedade que supervaloriza a imagem corporal, que inclui inúmeros sacrifícios para se manter sempre jovem, bonita e magra e o que resume isso é muito aquela frase “no pain, no gain” (sem dor, sem ganho).


Sempre é tempo de questionar quais são as nossas atitudes, as nossas falas que ainda estamos sustentando e quais que a gente precisa mexer, para mudar a nossa visão, nosso valores e as nossas crenças que já não fazem mais sentido. Muitas vezes são coisas de uma vida toda e somos bombardeados de informações o tempo todo, mas precisamos encontrar informações de qualidade, entender como compreender essas informações e a melhor forma da gente sempre compreender informações é fazendo boas perguntas. Por que comemos? Por que comemos o que comemos? O que representa ser saudável para você?

  • Saúde

  • Meio ambiente

  • Direitos humanos

  • Comércio justo

  • Práticas sustentáveis

  • Espiritualidade

  • Desenvolvimento pessoal

Precisamos sempre nos educar, precisamos ter essa responsabilidade para gente e quanto mais a gente se movimenta nesse sentido, mas as coisas vão se abrindo e assim vamos saindo de um padrão repetitivo, de uma situação mais complicada, vamos conseguir sair de coisas que não tem nada mais a ver mas que continuamos fazendo e aí começamos a ficar mais conectados com a nossa potência.


Quando falamos dos hábitos alimentares, eles dependem muito do que sabemos ou acreditamos sobre alimentação. A desinformação pode levar a perda de confiança e interferir negativamente nas escolhas. Quais tipos de desinformação temos hoje em dia? Os modismos alimentares, a demonização dos alimentos, fraudes em saúde / fake news e alegações mal direcionadas. É preciso ter compreensão adequada do papel do alimento na vida e ter expectativas realistas. A nossa alimentação precisa ser adequada, harmônica, em quantidade suficiente e de qualidade para nós. Ela precisa auxiliar na redução e/ou manutenção do peso, previnir doenças crônicas como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e câncer. Além de gostosa e saborosa, ela deve ser sustentável e saudável para o meio ambiente.


As mudanças de estilo de vida podem vir aos poucos. Se você quiser melhorar a sua alimentação, por exemplo, os estudo mais recentes ((The EAT-Lancet) mostram que uma dieta a base de plantas ou Plant Based, é um dos padrões alimentares mais saudáveis por ser baseada em elevado consumo de frutas, vegetais, grãos, castanhas e sementes, baixo ou nenhum consumo de produtos ultraprocessados/refinados e baixo consumo de proteína animal. Ela não é uma dieta necessariamente vegetariana e prioriza os alimentos orgânicos, contribuindo para um ambiente mais sustentável do que as dietas ricas em produtos animais e industrializados.

Na alimentação plant based é possível incluir carnes, aves e peixes, desde que a escolha seja pelos mais magros. Também devemos incluir gorduras de boa qualidade (que são aquelas provenientes dos vegetais, sementes e frutas como o abacate.) Os estudos mostram que a dieta plant based está associada a menor índice de massa corporal (IMC), menor peso, menor circunferência da cintura, menor pressão arterial, menos uso de medicamentos e melhora dos exames bioquímicos.



Lembrem-se: Cada uma de nós precisa observar aquilo que irá nos ajudar a entender na nossa essência e saber como estamos para alcançar uma vida mais equilibrada e saudável, compreendendo a responsabilidade que temos para resolver as nossas questões emocionais, uma vez que nossas estruturas físicas, mentais e espirituais estão recebendo estímulos o tempo todo.


Um grande abraço para vocês e até o próximo post!


Referências:


The Eat-Lancet. Disponível em https://eatforum.org/eat-lancet-commission



61 visualizações2 comentários

2 Comments


Unknown member
Oct 03, 2023

Pensando no coletivo.. Se fosse possível garantir e manter esse mínimo seria já maravilhoso.

A mudança real na saúde e cuidado da população negra, certamente passa pela garantia do direito básico à saúde, essa preconizada pela OMS, mas o próprio modo como a sociedade está organizada hoje, continua sendo a principal causa de nos adoecer. Grata por esse post! ♡

Like

Maravilhoso! É preciso ter um olhar e pensamento crítico sobre o bombardeio de (des)informações que vão sendo apresentadas.

Quanto mais informações, melhores serão nossas escolhas.

Parabéns pelo texto.

Like
bottom of page